Mulheres, em verso e prosa

mulheres 2

Mulheres (por Ricardo Mainieri  – mainieri@dmae.prefpoa.com.br)

o feminino
em mim
residente de aluguel
saúda o feminino
que em ti habita
proprietário
em tempo integral.

 

mulheres 3Mulheres (por Yany Mendes Siqueira – yanymv@ig.com.br)

Há muitos tipos de mulheres, Há a mulher com a personalidade marcante, que ao passar por um lugar uma única vez, talvez nunca mais seja esquecida, pelo que mostrou, falou ou fez.

Há a mulher personagem, que mesmo não sendo atriz por profissão, interpreta sua vida de uma forma absurdamente diferente da que sente de verdade em seu interior. Aquela que gostaria de ser uma, mas é outra, com outro sabor.

Há a mulher de fibra, de garra e de fervorosa fé, que mesmo com os mais tremulantes abalos, se mantém de pé, como se fosse o esteio do mundo em que vive, não se deixa descer do salto, não ousa pedir clemência nas horas em que poderia se fragilizar e pôr tudo a perder.

Há tantas mulheres esperança, que a própria esperança já é nome de mulher. Conheci uma descendente de espanhóis que era a própria.Dona Esperanza trazia no olhar a certeza eterna de encontrar uma irmã que se perdera no destino da vida, foram separadas ainda quando eram meninas e até hoje Dona Esperanza tem a convicção sem nenhuma prova de que vai rever a irmã.

Há as mulheres traídas, cheias de dores e talvez as mais sofridas, pois carregam a desilusão de que amar faz mal, pensam ser a paixão a desgraça de todas as que um dia se entregaram a um amor e estes por outras lhes deixaram, se desiludiram, se ofenderam. Amargas em relação ao viver a dois, não acreditam que possa existir algum homem diferente para começar depois.

Existem mulheres de tantos diferentes tipos, há as sonhadoras, as acolhedoras, as gentis e as grosseiras, as ternas e maternais e as que amam apenas animais. As que cuidam das plantas e as que só plantam ervas daninhas. Há as mulheres que ainda são muito infantis, mas há as que não tiveram tempo de ser meninas.

Existem mulheres que descobriram que podem mais, que são sucesso e ascensão, que são muito mais além do que são.Mulheres que vão e que vem, que vestem preto, vermelho ou lilás e sonham colorido, mulheres que tem namorado e mulheres que ainda namoram o marido.

Há mulheres ultramodernas que usam Prada e Gucci. Mulheres que nunca saem de moda. Mas há mulheres ultrapassadas que de moderninhas não tem nada. São cheias de defeitos, mas o maior de todos é o maldito preconceito.

Há mulheres que dançam, pode ser tango, valsa ou bolero.Há as que rodopiam no salão, e as que num canto esperam. Mulheres que se divertem com samba, xote ou baião.Há mulheres que sem música nada serão.

Há as mulheres que vivem as pressas, levam filhos, trazem netos, dão bom-dia e esquecem o boa-noite, soltam os cabelos e apertam o sutiã. Há mulheres que fazem tudo hoje e outras que tudo deixam pra amanhã.

Mas preciso dizer que todas as mulheres por mais diferentes que sejam umas das outras sempre terão muito em comum. Todas são mulheres de uma forma ou de outra, com ganhos, perdas, lucros e desfalques. Todas as mulheres têm marcas, cicatrizes e recalques.

Todas as mulheres têm a doce essência de Maria. Mas o fato é que todas querem espaço, tempo, sorte e alegria.

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.

  • Irmãs de Palavra

    Palavras que inspiram e mexem com você! Muito bom…