IMG_8521

Arte em movimento – Ballezinho de Londrina

As IRMÃS DE PALAVRA já assistiram muitas vezes aos espetáculos do Ballezinho de Londrina. Em todas elas a sensação foi parecida: “Nós sentimos o pulsar da vida bater mais forte dentro de nós. Como se a expressão e o ritmo dos bailarinos acendessem em nós sentimentos mais vivos e verdadeiros. Esse é o poder da arte em movimento”.

IMG_8731O Ballezinho de Londrina, idealizado por Wagner Rosa, ex-integrante da Escola Municipal de Ballet de Londrina e ex-integrante do Ballet de Londrina, foi criado em 1998.

“Ao longo destes 17 anos de existência, houve um amadurecimento natural e o surgimento de uma cultura própria. No princípio, apenas eu coreografava e direcionava a estética do grupo. A partir de determinado período, cultivou-se uma cultura de colaboração, o que permitiu a todos os integrantes terem alguma liberdade para criar, e sentirem-se “autores” dos trabalhos realizados”. (Wagner Rosa)

Nesses últimos dias (25,26 e 27 de junho) o grupo do Ballezinho de Londrina apresentou o espetáculo Déjà Vu, que propõe uma reflexão sobre questões da vida cotidiana tendo como inspiração o diálogo constante na busca por identidade.

IMG_8727As IRMÃS DE PALAVRA estiveram novamente presentes, desta vez com sabor especial, porque filha e sobrinha – Sofia Katsue Favoreto Shimohiro – integra a equipe do Ballezinho de Londrina.

Queremos fazer nossas, as palavras de Gibran, em O Profeta: “Ajuda os cantores e bailarinas, pois mesmo que seus produtos sejam feitos de sonhos são alimentos para nossa alma”.

E esse alimento nutre as IRMÃS DE PALAVRA, todo grupo do Ballezinho de Londrina, e os tantos que passam para assisti-lo.

 

“Difícil falar com poucas palavras. O Ballezinho faz parte da minha vida/identidade, é o lugar onde posso flertar com a imaginação e a criatividade em um estado mais puro. É a convergência entre minha vida pessoal e profissional, pois foi a partir da criação do Ballezinho – e de sua evolução – que fui trilhando meu caminho no mundo da dança. Dirigir artistas/estudantes me permitiu repensar minha forma de atuar/dançar, me permitiu repensar minha forma de dar aulas e me permitiu, também, amadurecer como diretor/coreógrafo/encenador. Aprendi a ceder, a escutar, a compartilhar… O grupo tem vida própria, identidade própria, e cada novo integrante traz suas experiências e vivências e contribui para esta identidade, que não é estanque, mas em constante aprimoramento”. (Wagner Rosa)

“A vibração do ritmo, dos movimentos e sentimentos de cada artista do Ballezinho de Londrina, abriu uma gaveta e trouxe de volta uma energia da época de minha adolescência. Quando eu também dançava… e isto foi incrível! Foi vigorosamente vivo!”(Dany Fran)

“O som e a paixão do espetáculo são vida em abundância. E não é isto o que tanto buscamos?”(Kelly Shimohiro)

IMG_8693

 

O Ballezinho de Londrina por seus integrantes:

Lígia Barros (17): “Uma família!”

Gioavana (13): “Um estilo de dança.”

Lara Novaes (10): “Um grupo de dança.”

Lohaine Moreira (18): “Um lugar onde eu posso me expressar”.

Ana Paula Fogari (15): “Um lugar onde posso me expressar e crescer”.

Gabriela  Gonçalves (14): “Onde você pode encontrar novos amigos.”

Lorena H. (13): “Um lugar para dançar.”

Bianca Castro (13): “Uma só família, onde podemos compartilhar o amor pela dança.”

Melissa Faria (15): “Amigos e dança.”

Eduarda Rangel (17): “Um lugar onde me encontro com meus amigos para dançar.”

Giovana V. (14): “Grupo de amigos que se reúne para fazer algo que todos gostam.”

Duda Oliveira (14): “Um lugar onde você pode dançar e se divertir junto com os amigos.”

Gabi Abreu (30): “Desconstrução para construir. Desconfigurar paradigmas para deixar fluir a liberdade e criatividade. O Ballezinho é tudo junto, diversidade e vivência de um grupo com desejo em comum: a dança.”

Enzo  Soares Furlaneto: “Aqueles que dançaram foram julgados loucos por aqueles que não escutaram a música! (F.N.) Trabalho em grupo, esforço, superação, aprendizagem, disciplina. A dança, a música, a arte. De nossas vidas faz parte. O cênico, o ensaiado, o improviso. O canto de um belo sorriso.” (E. S. F.)

Sofia Katsue Favoreto Shimohiro (11): “É um grupo de pessoas que tem várias coisas em comum. Mas, o que nos une é a paixão pela dança. O prazer que nós sentimos quando dançamos de um jeito diferente. É uma forma de dançar que eu amo!”

Ione Queiroz (15): “Ballezinho – bem mais que um grupo, é uma família, onde dançamos de um novo jeito, do nosso jeito. Onde tudo o que fazemos é dança e dança é amor!”

Maria Beatriz (15): “O Ballezinho é o que eu amo, uma forma de superação e aprendizado. Além do grupo ser unido, uma verdadeira família.”

Ana Carolina (12): “É uma família que sempre está unida para compartilhar emoções, sentimentos e dançamos o Ballezinho sempre unidos.”

Rhafael Magalhães (22): “Mais que um grupo, mais do que uma escola, mais do que simplesmente dança, só quem já passou de verdade pelo Ballezinho sabe seu real significado. Aqui se aprende a viver, a construir um caráter, se aprende a compartilhar.”

Duda Lima (14): “O Ballezinho é amar, amar a dança, amar ao próximo. Rir, se unir, construir um futuro em conjunto. Uma família, dividimos emoções.”

O Ballezinho de Londrina pela plateia:

Lúcia Favoreto (71): “Para mim, o Ballezinho é uma sensação de paz e tranquilidade. O movimento com as mãos! A facilidade dos bailarinos em exercitar com as mãos, com olhares fixos na plateia. Gostei muito na apresentação!”

As IRMÃS DE PALAVRA dizem SIM à arte, SIM à paixão do movimento em nosso dia a dia!

BALLEZINHO DE LONDRINA  2015    DéJà Vu  03 Amauri Martineli

 

O grupo do Ballezinho de Londrina ensaia durante a semana, das 18:00 às 20:30 horas, na FUNCART, orientado por Wagner Rosa.

Para estar sempre por dentro dos espetáculos do grupo, acesse a página do Ballezinho no face. https://www.facebook.com/ballezinho.delondrina?ref=ts&fref=ts

 

Texto: Dany Fran e Kelly Shimohiro.

Fotos: André Shimohiro. Última foto – Amauri Martinelli.

Kelly Shimohiro

Kelly Shimohiro

"Tudo é um ponto. E o ponto é você!" Autora de "O Estranho Contato".