20150705_211000 (1)

PARA OS DIAS FRIOS

Uma tarde chuvosa, gelada… ainda que encoberta por cachecóis e botas, pode continuar nublada. Mas, menos ‘fria’ com a presença de alguém que, simplesmente, gostamos…

Ou mesmo sozinhos, podemos espantar o frio que, muitas vezes, invade as nossas vidas. Aquele tempo onde o coração congela e tudo fica cinza. E a graça da vida se esvai… As relações ficam mornas; os compromissos diários, entediantes; as pessoas que o rodeiam, desinteressantes. É como se sua alma atingisse 10 graus negativos. E nesse tempo, como diz uma AMIGA DE PALAVRA, sobreviver já é o bastante.

As IRMÃS DE PALAVRA insistem que, mesmo que o inverno tenha tomado conta da sua vida, persista. E encontre no calor dos seus sonhos, o sol para aquecer seus dias.

20150705_211325

Enquanto um vinho esquenta as palavras, são as relações que podem escaldar ou resfriar nossas almas. Das mais passageiras àquelas que perduram, em qualquer estação ou temperatura, as relações vão sempre depender mais do afeto do que do tempo em si para se aquecerem.

Como Fabrício Carpinejar coloca “O tempo organiza, mas não define. O tempo esfria, mas não cura. O tempo acalma, mas não garante o entendimento. O tempo é senhor da razão só que escolho a fé, senhora da ação. A fé cria seu próprio tempo. O tempo de amar, é agora”.

E por falar em ação, um alô no meio da tarde pode não apenas interromper o fim de um texto, que minutos ou horas depois vai ser concluído, mas, lhe conectar à alguém importante e que faz a diferença. Um abraço na porta do carro pode ser a melhor, e mais quente, parte do seu dia. Um rápido bilhete ou o recado no espelho escolhem dizeres que, talvez, nenhum artigo revele.

Todos encurtam distâncias e fervem o coração, zelando pelo que você tem de emoção! E isto é muito mais que uma brasa rotineira, é a sua fogueira. Que como toda boa fogueira, para continuar acesa, precisa de lenha. Rotineiramente! Porque “pra viver um grande amor é preciso cuidado permanente, não só com o corpo, mas também com a mente, pois qualquer ‘baixo’ seu, a amada sente – e esfria um pouco o amor” , (Vinícius de Moraes).

Texto de Dany Fran e Kelly Shimohiro

Kelly Shimohiro

Kelly Shimohiro

"Tudo é um ponto. E o ponto é você!" Autora de "O Estranho Contato".