IMG_2531

Uma mulher de ‘PALAVRA’

palavras claudia
Viva! A palavra, escrita ou conjugada, pulsa o verbo. E da primeira pessoa do singular chegamos à terceira. Do plural. E isto é ‘vivo’! Não apenas porque vibra. Os sentidos. Mas porque os impulsiona. Pra frente. Pra outros. Novos. Sentidos!
E foi através dela, da palavra, que as IRMÃS DE PALAVRA encontraram os múltiplos e ensolarados enredos de Cláudia Vanessa Bergamini. Professora de Literatura que abre as portas da sala e, de mãos dadas com as histórias imaginadas ou retratadas, segue adiante nos acordando para mundos mais vigorosos. O melhor é que ela não para. Poesia. Contos. Pensamentos. Seja caminhando por Paisagens Literárias (http://dicasdeliteratura.blogspot.com.br/), reedições (Ceos Editora), ou até mesmo por devaneios em clubes de leitura; perambular pelos labirintos de Cláudia é um cativante caminho. Está esperando o quê? Vem também!!!!
E agora, menina?
(Por Cláudia Vanessa Bergamini)
E agora, menina?
Acabou-se o conceito,
Fechou-se a janela,
Perdeu-se do grupo,
E agora, menina?
E agora, você?
E agora, menina?
O que será de você?
Correrá para onde?
Chorará em que peito?
Segurará em qual mão?
E agora, menina?
E agora, você?
Discurso você tem,
Desejos também,
Vontades aos montes,
Coragem a vender,
Então, menina, e agora?
Mate a menina,
Que nasça a mulher,
Que floresça a vida,
Que brote o sorriso,
Que exale a alegria.
E quando a noite,
com sua mão fria,
vier lhe tocar,
só lembre, menina,
que você já é morta,
porque agora é mulher!
claudia
Não há resquícios
(Por Cláudia Vanessa Bergamini) 
Chame que eu te atendo.
Chames e eu te sigo.
Mas não ordenes que apague de mim os calores que senti,
os sonhos que criei,
os paladares que imaginei,
os toques que em devaneios concebi.
Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.