o muro

O MURO

o muroUm gramado. Uma Esplanada. E dois metros de ferro. Nem de longe uma muralha, mas uma barreira foi armada entre a insatisfação coletiva bem no ‘coração’ do Brasil. De um lado quem acredita no impeachment, mas não quer Temer. Do outro, quem apoia Dilma; ainda crê nas ideologias do partido ou, talvez, até não bote mais tanta fé no PT. Não depois das pedaladas, das escorregadas e de toda essa papagaiada! Mas continua do mesmo lado. Ainda tem por trás, quem luta pelo afastamento e cassação do mandato de Eduardo Cunha, na presidência da Câmara.

Em uma era de incertezas, quem vai ficar depois do muro cair, em um futuro próximo com hora marcada (às 14h deste domingo), não se sabe. Por ora. Mas insensatez de caminhos insanos à parte, estar em cima do muro nunca foi mesmo um bom lugar. Não acha?

O que as IRMÃS DE PALAVRA acham é …

… que política não são cargos, é atitude no mundo;

… que não se aprende a amar escrevendo teses, mas dando as mãos;
… que bandeira não é símbolo, é suor;
… que discurso não tem ouvidos, só tem desejo: o poder;
… que consciência não faz barulho, causa transformação;
… que quem manda no mundo é o dinheiro, só se as pessoas deixarem;
… que seguir exemplos é tolice, eles são apenas ilustração;
… que o erro não é o outro, somos nós… se vivemos sem noção, sem participação, seguindo o sermão;
… que o Brasil precisa ser defendido, não só agora, não só assim;
… e por fim, nós entendemos que o muro que, de fato, separa é construído nas mentes!
* texto: Kelly Shimohiro e Dany Fran
Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.