FOTO-TEXTO-MENOS-IMPULSO_-MAIS-SELEu00C7u00C3O_-MAIS-SILu00CANCIO

Um dia bom

Recebi uma dessas mensagens do zap-zap, me desejando um bom dia. Respondi automaticamente, desejando muito mais que isso! Desejando um dia fantástico! Logo depois de enviar a mensagem, pensei: O que mesmo eu quis dizer com um dia fantástico?.

Sabemos que dias fantásticos não acontecem assim de uma hora pra outra, não estão dando sopa por aí. Eles precisam ser caçados. E como uma boa caça, sabem como se esconder, a ponto de se tornarem uma verdadeira conquista!

Mesmo assim, estão por ai, em algum lugar. Em algum lugar onde você e eu podemos alcançar. E se existem e nós podemos alcançar, por que são raros? Porque um dia fantástico é um dia do outro mundo! E não pode acontecer toda hora, para não virar qualquer coisa. Ele tem que ser especial, fantástico! Feito uma viagem internacional de férias, que a gente espera o ano todo, fazendo planos, juntando a grana, vendo o roteiro, conhecendo um pouco do idioma… Essa viagem é incrível! E prepará-la é muito bom também. Às vezes, até mais… 

Doses exageradas de dias fantásticos os tornam comuns, sem graça, um arroz com feijão feito de salmão e um vinho branco dos bons. 

O que quero dizer aqui é que um monte de dias fantásticos é uma bobagem sem igual. Um bom dia, um monte de bons dias sim, precisamos deles. Um café preto e pão francês com manteiga. Quero hoje e amanhã também. E se puder, fico repetindo, reprisando o cardápio. De repente, tenho um surto de criatividade gastronômica e vou de croissant, chá de flores e queijo cottage. Um café da manhã fantástico! Adorei! No dia seguinte, acordo e volto pro café preto e o velho conhecido francês da padaria da esquina. 

Dias fantásticos, viagens fantásticas, presentes fantásticos, acontecimentos fantásticos não são pra toda hora. Eles dão um trabalho homérico, levam enxurradas da nossa energia e disposição e, é claro, são maravilhosos. Mas depois, dependendo do que for, levamos dias para nos restabelecer. Uma noitada com os amigos precisa de três noites bem dormidas. Pode ser que você leve meses para se recompor da festa de 15 anos incrível e fantástica da sua filha. Muitas contas precisam ser pagas. E isso também é bom. Cuidar do after day. Está no pacote do fantástico! 

Se eu fosse alguém a favor de dar conselhos, eu diria para você esquecer as propagandas, os filmes, anúncios, novelas e toda essa avalanche que enche você com a necessidade de ter dias fantásticos todos os dias! Como eu já disse, isso é uma bobagem sem

tamanho. Sua saúde não suportaria, logo iria entrar em colapso! Dias bons são espaçosos e vitais. Eles vão se acumulando em uma vida fantástica. Eles ajudam você a seguir em frente, lutando pelo seu sonho, educando os seus filhos, aguardando ansiosamente pela sexta-feira à noite, que sem dúvida, é (quase) sempre uma noite fantástica. Eles ajudam você regar a horta, repor a despensa, fazer a corrida diária. E um dia, o dia fantástico acontece! Ele não caiu do céu, você lutou por ele nas centenas dos seus dias bons. 

E não estou falando de dias enfadonhos e ruins. Dias bons são só dias bons e são maravilhosos. Os enfadonhos também têm seu lugar. Os ruins, você precisa suportar. O perigo todo está em criarmos uma geração superficial, que só se contenta com dias perfeitos, exuberantes, fantásticos! Essa geração será sempre deprimida, insatisfeita, talvez obesa e ressentida. Nunca esperaram pelo final de semana para o restaurante especial. Isso pode parecer provinciano e reacionário, mas eu acho que pessoas incríveis sabem viver dias bons, suportam os dias terríveis e ficam mesmo empolgadas nos dias fantásticos! As pessoas banais se perdem nos dias comuns, atropelam os dias incríveis e se suicidam nos dias terríveis. 

E para você: Um dia incrível! Não toda hora, só agora!

TEXTO SUELY 3

 

Texto de Kelly Shimohiro

Foto de André Shimohiro

Kelly Shimohiro

Kelly Shimohiro

"Tudo é um ponto. E o ponto é você!" Autora de "O Estranho Contato".