devaneio

o INÍCIO da história

Você pode planejar os capítulos. Marcar horário. Fazer o checklist. Ou nada disso. Agora!

Pode desejar (muito), apaixonar-se, sentir necessidade. Ou tudo isso. Agora!

O ‘start’ não espera agenda. Não respeita calendários. Mas segue uma batida, que cadencia o ritmo da próxima… frase.

Isto porque o começo da história é uma desculpa para todo o resto. Agora!

Ou é  uma coragem, não apenas pra criar, mas manter um enredo. Ou é um ponto nebuloso de onde as coisas precisam nascer. Ou o espetáculo que marca o desenrolar dos acontecimentos. Ou uma passagem para outros tempos. Ou uma necessidade de renovação, de fim de um ciclo para outro, de presságio para novas aventuras. Ou uma bênção, como uma permissão de abandonar as coisas mortas e doídas. Uma bênção cheia de poder e magia, dizendo  sim… podemos fazer muitas coisas ainda (e talvez, coisas diferentes e surpreendentes).

O ‘start’ é uma faísca que te liga a sua tomada interna e te coloca no espaço onde tudo pode acontecer.

Mas…

Só se você quiser!

Só se você agir!

Só se você estiver disponível (para um novo livro, um novo ano, uma nova vida). Agora!

Porque …

2017

texto: Kelly Shimohiro e Dany Fran

Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.