264

Os grandes momentos (só os melhores)

Somos seres triviais, mas nem tanto. Gostamos de uma farra bem maluca, de vez em quando.

Somos pessoas pragmáticas, às vezes não. Mudamos as regras em surtos de revolução.

Somos cérebros racionais, “but” sacudimos tudo por um looping de emoção. Nosso Santo Graal pessoal.

“Ainda que o dia siga com o movimento dos nossos pés, é quando eles escorregam que o coração pula!”

Quer ver só…

Caféescolatrabalhokidsalmoçoreunião+trabalhofutebolGRtreinojantalivrorisosboanoite+históriasono.

Agora…

CaféatrasoGRITARIANOCARROescolachuvacorreriagaragemQUASEATROPELAOFILHOolhosabertoscoraçãosorrialmoçomaisdemoradoconversatrabalhojudôinglêsPASSAEMFRENTEDECASAENÃOPARAporqueamúsicaqueestãocantandoaindanãoacabou!

A grandeza dos momentos mais esquisitos já são notados muito antes de Cristo, por quê será que a gente insiste tanto em encaixotar as histórias? Aristóteles, na sua genialidade escrita na obra Poética, desenvolveu diálogos e enxergou história na ação dos personagens, alertando que o frenesi da narrativa estava mesmo na imitação das partes ridículas. O nó e o desenlace ganham nossa atenção quando pulam para o surpreendente.

Alice é mais uma garotinha bonita de cabelos loiros quando está rodeada de gente em uma festa. Mas ganha nosso foco quando despenca em um buraco que parece não ter fim e conversa com um coelho que usa relógios ou troca ideias com um chapeleiro maluco. Harry é mais um garotinho de óculos tristonho que não tem pais enquanto vive com os tios chatos. Mas rouba toda nossa atenção assim que ultrapassa uma parede e pega o trem pra uma viagem fantástica.

Falamos do cotidiano, lemos sobre o cotidiano, produzimos o cotidiano; mas o que interessa mesmo na história são OS GRANDES MOMENTOS – só os melhores. Porque criam o novo, jogam música no mundo, arrancam os sapatos dos seus pés e te faz agarrar a vida, todo entusiasmado.
Sartre foi o um grande momento. Trouxe novidade para o jeito de pensar a existiência.
Jesus foi um grande momento. Fez novidade em si mesmo. E espalhou.
Uma professora chamada Rita foi um grande momento. Botou novidade no coração de uma aluna.
Eliane Brum foi um grande momento. Deu voz pra quem ninguém enxergava. Narrou novas perspectivas à cuca de uma leitora.
Você é um grande momento. Tá esperando o quê?
“Quem nos ensinou novas maneiras de pensar?” (Gilles Deleuze)
Texto das Irmãs de Palavra

IMG_20160711_201856

Kelly Shimohiro

Kelly Shimohiro

"Tudo é um ponto. E o ponto é você!" Autora de "O Estranho Contato".