IMG_20160318_175251

Dê uma pausa, para suas certezas

de-uma-pausa-300x153

A história hoje é sobre certezas. Certeza absoluta. Sem sombra de dúvida!

Do que as Irmãs de Palavra têm certeza?

De que o melhor parto é o natural, óbvio! Fala-se tanto, campanhas e mais campanhas para aumentar o índice no Brasil de filhos paridos assim. Até que 41 semanas de gestação e a urgência necessária pra uma cesárea já! O melhor parto então…

De que os bons livros são os clássicos. Certeza absoluta! Obras aclamadas, sustentadas pelo tempo e pelo renome dos autores. A crítica delira! Muitos são chatos. Livros cansativos, entediados. Clássico ou não, onde mora a história boa, então? Meu Deus, que confusão! Cada um vai ter que criar sua própria opinião.

Temos certeza de que a primeira impressão é a que fica, até que a segunda apareça e mude tudo. Após amistoso Neymar é o melhor jogador. Após primeiro jogo da Copa Cristiano Ronaldo é o melhor. Até que venham as próximas partidas. Então… Certeza total é de que a palavra dita não se apaga. Claro, hoje se deleta! De que o mundo é dos espertos, até que ele seja pego e pegue 130 anos  de prisão. De que lugar de mulher é… onde ela bem entender! De que pau que nasce torto morre torto. Se assim ele quiser!

Afinal, do que as Irmãs de Palavra têm certeza, então?

A gente fica muito tempo buscando significados exatos e, às vezes, perdendo experiências que poderiam nos tornar mais vivos, se conseguíssemos escapar de tantos conceitos e pré-conceitos. 

Foi na dificuldade em responder exatamente a esta pergunta, ‘Do que você tem certeza?’, feita por um entrevistado à americana Oprah Winfrey, que em 1998 a jornalista e apresentadora de TV (capaz de manter no ar um programa por 25 anos!) começou a divagar sobre as próprias certezas – e inúmeras dúvidas. Dessa inquietude nasceu o livro ‘O que eu sei de verdade‘, publicado em 2014 pela editora Sextante. Uma reunião de crônicas despidas de doutrinas, que mais se parecem com uma conversa (sem censura) sobre prazeres, tombos, porradas da vida; e, principalmente, vontades,  sonhos e conquistas. E é exatamente com uma louca vontade de viver, que nós, Irmãs de Palavra, fomos arrebatadas ao ler a obra de Oprah. Wal Dantas, amiga de palavra que “chegou-chegando” ao clube do livro AMIGOS DE PALAVRA de Maringá, presenteou uma das Irmãs de Palavra com esse livro, que ela por sua vez, com certeza, não compraria. E acabaria perdendo o prazer de ler e aproveitar as experiências da autora. Talvez algumas certezas tenham esse poder: restringir sua vida de experiências transformadoras. Ainda bem que uma Irmã ganhou esse livro, que derrubou algumas de suas certezas. Depois passou a Oprah para a outra Irmã, então para a mãe, a amiga, o vizinho, e o seu Clóvis, o padeiro da esquina.

“Dificilmente passo um dia inteiro sem falar com minha melhor amiga, quase todas as noites entro em uma banheira de água quente e acendo muitas velas, mantenho um diário de gratidão, baixo a bola lendo um bom livro e mando o resto pastar.” (Oprah).

Depois dessa, as Irmãs de Palavra – finalmente – chegaram a uma certeza (sem sombra de dúvida!): às vezes, o melhor é ir pastar. Não, não, é mandar pastar! O resto é história (e nós adoramos!).

Texto das Irmãs de Palavra

oprah

Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.