20160513_180409

DÊ UMA PAUSA – A culpa é das estrelas!

de-uma-pausa-300x153

A culpa é das estrelas!

A culpa deixou o mundo. Ela cansou. Disse que iria sair de férias (mas era mentira). Ela já não aguentava mais. Tinha que ficar se dividindo em tantos pedaços, atendendo milhões de chamados pelo mundo inteiro! Ah, não dava mais! – Chega! Me demito! Vou embora. O problema é que não deixaram. Alguém tem sempre que levar a culpa, melhor que seja a dona Culpa, oras bolas! Chama a Dona Culpa de volta, ela não pode ir saindo assim de fininho, não. – Volta, culpa! (o mundo inteiro exigiu). A dona Culpa voltou, assim meio a contragosto, com aquela cara emburrada. Só que o que ninguém sabia, era que ela tinha um plano. Um plano secreto. Ia se escafeder do mundo, mas não ia contar pra ninguém. Porque do jeito que as coisas andam, tudo corre muito rápido hoje em dia. Tem fake news, twitter, Stories, whatsApp (aff, era melhor não contar pra viva alma). Ela botou foto no Instagram: #partiuferias. Recebeu mensagem do mundo inteiro:”Tá certo, Dona Culpa, férias merecidas!” “Volta logo, já estamos com saudade!” “Ah, traz um chaveirinho pra mim, dona Culpa!”. Ela gastou horas, mas respondeu tudinho, tudinho. Fez uma mala bem grande e chamou o Uber. Despediram-se até com um abraço e o coitado do motorista derrubou uma lágrima, ia ser difícil o mundo ficar sem a culpa por uma semana inteirinha. Dona Culpa caminhou decidida pelo saguão do aeroporto, foi direto pro checkin, despachou a mala pra Pequim. Só ia dar uma passadinha no toilette. Chamaram Dona Culpa pelos auto-falantes, a aeronave ia decolar, última chamada. E voaram sem a dona Culpa. Todos aliviados. A notícia logo se espalhou. Dona Culpa tinha criado juízo e desistido das férias, o mundo não ia aguentar uma semana inteira sem ela! Glórias! E, no mesmo instante, começaram a chamar por dona Culpa. Mas o que todos não sabiam é que ela tinha um plano. Um plano secreto. Dona Culpa descobriu, por acaso, um buraco de minhoca no banheiro do aeroporto uma vez. E então… agora ela estava longe, muito longe, em outro planeta. Chegando lá, mudou de nome e se apresentou: – Sou a dona Consciência Limpa! E viveu assim, para sempre, tão sossegada. Quase não chamavam a dona Culpa lá no outro planeta. Nunca descobriram seu verdadeiro nome. (Só na Terra, o mundo endoidou. Ninguém queria levar a culpa! Dizem que até hoje, ninguém mais se entendeu.) Mas isso pode ser só um boato, né? Afinal, a culpa é das estrelas! O resto é história (e nós adoramos!)

Adoramos tanto, que até encontramos a dona Culpa em outra história. A encontramos longe daqui do Brasil, mas não em outro planeta. Em Amsterdã. A dona Culpa se meteu no meio de um jantar à luz de velas, onde um jovem casal apaixonado fazia tim tim com as taças cheias de champanhe. ‘– O.K. – ele disse. – O.K. – falei. Tomei um gole. As bolinhas se desmancharam na minha boca e viajaram em direção ao norte, para dentro da cabeça. Doce. Frisante. Delicioso – Isso é muito bom. –  falei. – Nunca tinha bebido champanhe. Um jovem garçom, os cabelos loiros e ondulados , apareceu. Acho que era ainda mais algo que Augustos. – Vocês sabem o que Dom Pérignon disse depois de inventar o champanhe.  – ele perguntou com um sotaque delicioso. – Não – falei. – Ele chamou os outros monges e disse: venham depressa! Estou bebendo estrelas”. Bem- vindos a Amsterdã’.  (trecho do livro de John Green, A culpa é das estrelas, Editora Intrínseca, 2012)

Hazel e Gus, personagens principais da obra literária – que conta a descoberta do amor adolescente por jovens portadores de câncer, realmente foram muito bem-vindos e passaram dias (e uma noite bem especial) de risos, choros, amor e grandes emoções na capital holandesa. Tudo culpa das ‘estrelas’! As Irmãs de Palavra também viveram dias (e uma noite) de fortes sensações pelas margens do rio Arno. Culpa de quem… é o que menos importa.

Texto das Irmãs de Palavra

a culpa é das estrelas

Kelly Shimohiro

Kelly Shimohiro

"Tudo é um ponto. E o ponto é você!" Autora de "O Estranho Contato".