Dê uma pausa – é hora do livro!

de-uma-pausa-300x153

é hora do livro!

Gerações e gerações percorreram o mundo para você chegar até aqui. Antes e depois de você, a vida está sendo criada, desejada, amada. As mães do mundo fizeram tudo. A terra, o ventre, a gente. Imaculadas, abusadas, profanas, educadas, tristes, despreparadas. Mães. Críticas, famintas, sonhadoras, inovadoras, barulhentas. Mães. Permissivas, machucadas, carentes, guerreiras. Mães. Lindas, festeiras, trabalhadeiras, esquecidas, mal-amadas. Mães. Mortas, invisíveis, ideais, fantasiadas, infantis. Mães. Pequenas, gordas, cheias de verruga, maquiadas, exuberantes, capas de revista. Mães. Pretas, amarelas, vermelhas, rosadas. Mães. Sem dentes, sem pentes, sem sementes, sem vergonha. Mães. Resistentes, cheias de amor, doces, azedas, às vezes, felizes. Mães. Sem elas, nós não. O mundo não.

Chegar não é mais precioso que o caminho. Manuela, personagem de Bárbara Lia, no livro As filhas de  Manuela (editora Trunfal, 2017), sabia disso mesmo sem se dar conta. Ela saiu em busca. Da filha na barriga. Das suas tantas descendentes. Mas principalmente, de si mesma. A mãe. Ilha do Mel. Paranaguá. Com um tanto de brasilidade, ‘As filhas de Manuela’ nos leva a uma longa estrada de busca. E durante todo o percurso, os encontros (e desencontros) de filhas e mães, nos contam a verdade: estamos todos, no mundo todo, querendo um colo de mãe. O resto é história (e nós adoramos!).

mãe

Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.