20150924_174712

Dê uma pausa – a história de hoje é sobre girafas

de-uma-pausa-300x153

a história de hoje é sobre girafas

Mais precisamente sobre o pescoço das girafas. Pescoços gigantes. Dois metros e meio só de pescoço, 270 quilos de puro pescoço, 20 anos de muito pescoço. 20 minutos apenas de sono diário. Na verdade, vamos falar do pescoço humano. Bem menor. Quase ínfimo se comparado. Esse pescocinho que no final da vida – quando já se está velho, gasto e murcho – é mesmo um horror!

Humor é o que não falta à escritora, roteirista e diretora de cinema, Nora Ephron, no livro ‘Meu pescoço é um horror’ (2007). Pra começar: esquece essa ladainha de que envelhecer é só bom. Existem os percalços e você deve prestar MUITA atenção. Tudo bem, avançamos a geração das mulheres de cinquenta com rostinho de quarenta. Hoje, muitas de sessenta estão com tudo em cima, exceto por um gigante detalhe. O pescoço! Maldito delator. Por isso, não duvide de Nora quando ela revela o que tem valor nessa vida. Não deixem de cuidar também de seu ‘pescoço’. E com ele, cuide de tudo que fica meio escondido. Seus desejos secretos, seus sonhos mirabolantes, seu amor pela vida, os pensamentos diários, as amizades mais íntimas. Tudo também envelhece com você. Mas, no final, não precisa ficar um horror, como o seu pescoço inegavelmente irá ficar.

As verdades do caminho. A tecnologia é uma merda. Na hora H, pode falhar. Faça back-up de seus arquivos. Os filhos vão embora. A carreira por mais bem-sucedida, vai ter grandes ou pequenos erros. Não existem segredos. Anote tudo. Aos quarenta e pouco terá saudade do corpo que achou ruim aos trinta e poucos.  Se você tem vinte aninhos, vá de biquíni à padaria (ou de sunga). Não se arrependa depois. Como pode esperar tanto tempo pra ler aquele livro que faz você avançar as quatro paredes do quotidiano? Os amores, os apartamentos, os cachorros, trate tudo com esmero. Tudo é você. Suas férias, a taça de vinho diária. As idas ao cabeleireiro, não desmereça esse tempo nem duvide do poder de uma tesoura eficiente. Seu pescoço vai dobrar-se e marcar-se a cada fracasso seu. A vida que você carrega vai minguar-se – gota a gota – toda vez que você não se importar mais, toda vez que você esquecer de sorrir, toda vez que você desistir de si mesmo, toda vez que você não se reinventar.

“Que falta de imaginação me fizeram esquecer que a vida era cheia de outras possibilidades, inclusive a de tornar a me apaixonar?”

Tudo é ‘história’. Menos essa de você cuidar melhor do seu ‘pescoço’. Palavras da Nora Ephron. Uma gigante. Pra falar a verdade, as Irmãs de Palavra discordam um pouquinho. Você até pode dar um jeito no pescoço horroroso e usar uma echarpe ou uma camisetinha de gola rule, só não se esqueça que a alegria-maluca-da-vida não pode murchar quando você envelhecer. O resto é mesmo história (e nós adoramos!).

Texto das Irmãs de Palavra

girafas

Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.