20160717_163531

Dê uma pausa, você pode criar mundos.

de-uma-pausa-300x153

Você pode criar mundos.

Tenho tanta alma quanto você!“, escreveu, séculos atrás, Charlotte Brontë. Lembrar de nossa humanidade (e fazê-la aparecer ainda mais) é uma das coisas que os livros fazem por nós. A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata (filme de 2018) apaixona o espectador  quando mostra o poder dos livros. E você só pode ter um livro em mãos, se antes o autor fizer o trabalho dele. Então é sobre eles que vamos falar, os escritores. Conversas entre Escritores – as entrevistas da Believer ( Edição Vendela Vida, Arte&Letra, 2009) é uma obra que partilha histórias de quem nos oferece histórias. As Irmãs de Palavra compraram este livro no metrô de São Paulo, pelo preço exorbitante de R$2,00 (sim, acredite! bastou enfiar o dinheiro na máquina). Íamos nos encontrar justamente com um escritor, que editou nossos primeiros romances. Coincidências à parte, este livro nos fez parar tudo por um tempo. Como, cada autor, cria sua história? Às vezes, nos esquecemos do trabalho duro e árduo que é escrever. Enloquente e solitário. O escritor não é um médico, metido em plantões e que salva vidas. Ele não é um professor,  que ensina todos os que, um dia, serão os profissionais espalhando-se pelo mundo. Ele não é um político, chefe de estado, presidente, nem um monarca. Ele não é um padeiro, um executivo, um maquiador, um pastor, um produtor rural, um blogueiro, um jogador de futebol, um cientista, um entregador de pizza ou um dentista. Ele não é nada disso. Ele é apenas um contador de histórias. Que, humildemente, favorece a imaginação de seus leitores. E, talvez, nada no mundo seja tão ousado e transformador quanto uma pessoa criativa. Os livros podem fazer isso por você.  Sim, você tem o poder de criar mundos, se quiser. O resto é história (e nós adoramos!).

“O romance é realmente um dos poucos lugares no mundo onde dois estranhos podem se encontrar em uma intimidade absoluta”. (Paul Auster) “Para mim escrever é como respirar”. (Haruki Murakami)  O estilo de um escritor, se essa é a palavra – tom, assinatura, o que seja – é o motivo para lê-l0“. (Tom Stoppard) Se eu puder causar no leitor o mesmo sentimento que esse escritor causou em mim, então serei bem-sucedido. E essa é, provavelmente, a maior influência“. (Ian Mcewan) “Uma das coisas que sempre tentamos fazer na condição de escritores: ajudar as pessoas a entender a humanidade dos outros, a importância de outras vidas. Não acho que temos responsabilidades especiais como escritores. Tudo o que você pode fazer é tentar humanizar as imaginações das pessoas. Eu não conheço  nenhuma forma melhor de fazer isso, a não ser continuar a escrever.” (Tobias Wolff)

texto Irmãs de Palavras

irmãs de palavra - escritores

Dany Fran

Dany Fran

Autora de "Dias Nublados", jornalista.