aaa vale

Uma segundo chance para amar

UMA SEGUNDA CHANCE PARA AMAR

 

Nessa semana, se dê uma chance. Uma segunda chance para amar.

Vá ao cinema (corra sozinho ou com alguém, porque o filme ainda está em cartaz no cinema Lumiére, shopping Royal Plaza de Londrina) e assista essa comédia romântica natalina, embalada pelas deliciosas músicas de George Michael dos anos 80. Nada mais clichê, você poderia dizer. A receita completa: Natal, neve e emoções açucaradas. O tal faz-de-conta do espírito natalino. Como se tudo se resolvesse assim, de forma mágica, só porque é Natal!

Não, tudo não se resolve assim. Nem no Natal nem em época nenhuma do ano. Nem é isso o que acontece neste filme. Kate (Emilia Clarke) é uma inglesa com a vida toda bagunçada: emprego errado, sonhos frustrados, amores descartáveis, brigas familiares, sem dinheiro, sem esperança e sem teto. Mas ela tem uma nova chance. E não é mágica que resolve tudo. É ciência (ela recebe um coração novo), é humildade (ela pede desculpas às pessoas que vem magoando), é disciplina (ela organiza sua rotina, seu trabalho), é empatia e respeito pelo próximo (ela doa seu tempo para ajudar os outros e aceita a sua família do jeito que é: imperfeita e meio doida), é esforço (Kate muda a si mesma, e esse é o maior sacrifício de todos nós).

No fundo, nós todos sabemos que não se trata de mágica. Não a mágica que sonhamos: alguém vai chegar e dar um jeito em toda a sua bagunça; você vai ganhar um prêmio e quitar todas as suas dívidas. Papai Noel não deixa presentes na lareira. Mas existe outro tipo de‘magia’, e está dentro de você. Bem aí, a seu dispor. Você pode perceber melhor as suas necessidades, se transformar, se libertar de velhas amarras, perder vícios, aceitar suas dificuldades, lapidar suas palavras, mudar o pensamento, o sentimento e o jeito de agir. Pode ouvir o ser humano que está ao seu lado, prestar atenção ao que pode fazer pelos outros e por si mesmo. A vida de todos nós pode ser marcada por inúmeras perdas, mas se você quiser, não são elas que definem você.

A frase do filme “A felicidade está em ajudarmos uns aos outros” pode ser clichê. Mas alguém sabe de uma verdade melhor pra botar no lugar?

Neste Natal, se dê UMA SEGUNDA CHANCE PARA AMAR.

Afinal, é a sua vida. E ela tem que ser a melhor de todas (pelo menos pra você).

Feliz Natal!

 

Kelly Shimohiro

Kelly Shimohiro

"Tudo é um ponto. E o ponto é você!" Autora de "O Estranho Contato".